quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Corte fiscal agravará financiamento do Carnaval



Na Região de Aveiro realizam-se alguns dos mais conceituados e belos desfiles de Carnaval do País. Arrisco mesmo e sem estar toldado por qualquer bairrismo, a afirmar que o de Ovar é provavelmente o melhor do País. Mas os tempos são de crescentes dificuldades. Com a entrada em vigor do novo Orçamento de Estado, a partir de Janeiro a taxa de IVA a que os corsos carnavalescos estarão sujeitos, passará de 6% para 23%. Em termos de gestão será um erro agravar os preços. Mesmo mantendo o preço das entradas nos corsos carnavalescos, a procura deverá em termos gerais diminuir, à semelhança do que está a acontecer na procura hoteleira e restauração. Por isso é previsível que o agravamento fiscal não se repercuta no preço a suportar pelos espectadores, o que na prática significará uma quebra na receita líquida só pelo agravamento fiscal, superior a 16 pontos percentuais.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Hackers "Anonymous" atacam empresa de segurança norte-americana

In Jornal de negócios de hoje:
O grupo de hackers “Anonymous” explicou que conseguiu aceder à informação dado que não estava criptografada, de acordo com a “BBC News”.

O grupo furtou dados confidenciais dos clientes da empresa Stratfor, entre os quais se encontram o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, Agências legislativas e organizações de meios de comunicação social.

Após ter conhecimento da invasão dos “Anonymous”, a empresa com sede em Austin declarou que já suspendeu as operações nos seus servidores e e-mails.

Um membro do grupo colocou uma mensagem na Internet a declarar que o grupo teria utilizado os dados dos cartões de crédito dos clientes da Stratfor para fazer doações a várias instituições de caridade, no valor de “mais de um milhão de dólares”.

A empresa Stratfor acalmou os seus clientes e declarou que o ataque teria sido apenas sobre “uma lista de alguns dos membros que compraram as nossas publicações. Não incluiu indivíduos ou entidades que tenham uma relação com a Stratfor”.

O grupo “Anonymous” já tinha assumido anteriormente a responsabilidade por outros ataques cibernéticos sobre instituições financeiras encaradas como inimigas do site “Wikileaks”.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Ecopilhas e Quartel Electrão: duas iniciativas que todos devemos apoiar


Até 31 de Dezembro, decorre o terceiro Peditório Nacional de Pilhas e Baterias, uma iniciativa promovida pela Ecopilhas, a favor do Instituto Português de Oncologia (IPO).

Para Eurico Cordeiro, Director-Geral da Ecopilhas, “o contributo da Ecopilhas para o IPO é um pequeno gesto na luta contra o cancro só possível de concretizar com a ajuda de todos os que participam no Peditório Nacional de Pilhas e Baterias.” Ainda segundo Eurico Cordeiro, “com esta iniciativa conciliamos uma causa pública e social, a luta contra o cancro, que infelizmente toca muitas famílias, com a defesa da natureza ao sensibilizar para a separação selectiva de pilhas e baterias evitando que as mesmas sejam depositadas em locais impróprios como, por exemplo, no lixo orgânico.”

Para participar, antes do final do ano, leve as suas pilhas e baterias já gastas a um Pilhão de um supermercado LIDL, de uma loja AKI ou de uma loja Leroy Merlin.

Também a iniciativa Quartel Electrão da Amb3E, visa a recolha de pilhas e baterias nos quartéis dos bombeiros, indo ainda mais longe pois também procede à recolha de electrodomésticos. As corporações de Bombeiros que recolham maior quantidade destes tipos de resíduos recebem prémios dos quais se destaca uma Ambulância de Transporte Múltiplo.

Quem quiser participar basta entregar os equipamentos e também pilhas e acumuladores num dos quartéis aderentes, que infelizmente são poucos nesta zona.

Vá lá: deixe-se de comodismos e participe! Ambas as causas são extremamente meritórias, é um responsável acto cívico da preservação ambiental e ainda deixa a sua casa num brinquinho.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

TAP poderá vir a pagar subsídios de Natal e férias em 2012

in JN de hoje: "A TAP está a negociar com o Governo uma eventual alternativa à eliminação dos subsídios de férias e de Natal, medida prevista no Orçamento do Estado, disse o presidente da transportadora, sem adiantar que solução está em cima da mesa.


foto Global Imagens/Arquivo

Trabalhadores da TAP poderão vir a receber subsídios

"Estamos novamente a conversar com o Governo para ver de que forma podemos adaptar o sistema da TAP a essas novas necessidades [de medidas de austeridade]", afirmou , esta segunda-feira, o presidente da companhia aérea, realçando que ainda nada está definido neste momento.

Em declarações aos jornalistas, Fernando Pinto adiantou que "a vontade é sempre procurar ter o menor custo para os trabalhadores e, ao mesmo tempo, adequar às necessidades da economia do país".

O presidente da TAP recordou que, no início do ano, a companhia aérea teve "um problema semelhante", por "não conseguir seguir à risca as orientações do Governo", então liderado por José Sócrates, de reduções salariais nas empresas públicas.

Este ano, os funcionários públicos e os trabalhadores do Sector Empresarial do Estado - de modo a ajudar a que as empresas reduzissem os custos operacionais na ordem dos 15% - viram os seus ordenados acima dos 1500 euros diminuir em 5%. A TAP negociou com o Governo um regime de excepção, que permitiu aos trabalhadores da TAP terem cortes nos subsídios em vez de nos salários.

O Orçamento do Estado para 2012 prevê "a eliminação dos subsídios de férias e de Natal para todos os vencimentos dos funcionários da Administração Pública e das empresas públicas acima de mil euros por mês", uma medida com o objectivo de garantir o cumprimento dos acordos internacionais."

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Já perceberam porque estamos falidos?


In Jornal de Negócios: já tem uma semana esta crónica de Camilo Lourenço.

"José Sócrates diz que pagar dívidas do Estado é ideia de criança: "Para pequenos países como Portugal e Espanha, pagar a dívida é uma ideia de criança. As dívidas dos Estados são, por definição, eternas. As dívidas gerem-se. Foi assim que eu estudei".
E acrescentou: "Claro que não devemos deixar crescer a dívida muito, porque isso pesa depois sobre os encargos. Todavia, para um país como Portugal, é essencial financiamento para desenvolver a economia".

Caro leitor, já percebeu por que estamos na bancarrota? Sócrates não percebe nada de Economia e não aprendeu com os erros. Vejamos: se o Estado se endividar para fazer investimentos úteis, o retorno desses investimentos é suficiente para amortizar a dívida contraída. Não há razão para não pagar dívida se há dinheiro. Foi isso que fizeram Suécia e Irlanda (esta até ao colapso do seu sistema financeiro) nos últimos 20 anos.

As dívidas só se mantêm elevadas, e por isso têm de ser "roladas", quando os investimentos não criam riqueza. Como aconteceu connosco na última década e meia. Além de que "rolar" dívida é arriscado: quando os mercados percebem que o Estado se viciou em endividamento, penalizam os detractores.

Mais: se de repente o Estado tiver de se endividar para fazer a uma emergência, o stock de dívida (e o seu custo) disparam para níveis proibitivos. Exactamente o que Sócrates fez nos últimos três anos: levou a dívida pública de 68% para 100% do PIB (com retorno zero).

Só há uma coisa que não percebo nesta conversa: onde mesmo é que Sócrates "estudou" estas teorias? Definitivamente não se deve tirar cursos ao fim-de-semana…"

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Entrevista a António Vitorino


A editora de política da Antena 1, jornalista Maria Flor Pedroso, entrevistou hoje António Vitorino, antigo Comissário Europeu, ex-ministro de António Guterres e um dos mais brilhantes políticos da actualidade. Se não teve a oportunidade de a ouvir, pode agora fazê-lo em:
http://tv1.rtp.pt/antena1/index.php?headline=13&t=Entrevista-a-Antonio-Vitorino.rtp&visual=11&article=4413&tm=16&rss=0

Pedro Nuno Santos e a Bomba Atómica


O economista Sanjoanense Pedro Nuno Santos é Vereador em S. João da Madeira, Presidente da Federação de Aveiro do Partido Socialista, Deputado na Assembleia da República e defensor do Estado de Direito. Ontem, afirmou e reafirmou sucessivas vezes em Castelo de Paiva, marimbar-se para os credores do País (bancos franceses e alemães) e defendeu o uso da bomba atómica, não pagando. Os maiores credores de Portugal, curiosamente não são nem a França, nem a Alemanha, que no seu conjunto, em Junho de 2011 eram credores de 45,7 mil milhões de euros quando só a Espanha era credora nessa data de 65,7 mil milhões, ou seja, quase tanto quanto os demais maiores credores juntos (Alemanha, França, Inglaterra, USA e Itália). Não sei se Pedro Nunes Santos ingeriu alguma substância que lhe tenha perturbado tão gravemente o discernimento ou se foram reminiscências dos populares slogans estudantis sobre as propinas "NÃO PAGAMOS, NÃO PAGAMOS". Carlos Zorrinho veio já tentar colar os cacos e minimizar os danos na imagem do PS mas António José Seguro ficou numa posição extremamente desconfortável face às responsabilidades de Pedro Nuno Santos na bancada socialista e na estrutura do partido. Com o descontentamento social e a instabilidade crescente, a distância que nos separa do caos grego, é muita curta. E se este "não pagamos" inspirasse o "não pagamos portagens", "não pagamos taxas moderadoras", "não pagamos a electricidade", "não pagamos a água, o saneamento e o lixo", "não pagamos as telecomunicações" e já agora "não pagamos a casa", "não pagamos no supermercado", "não pagamos o IVA", "não pagamos a segurança social", "não pagamos o IRS", "não pagamos..."?

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O que é que a privatização da EDP e o Marco Paulo têm em comum?


A privatização de 21,35% do capital da EDP está para ser decidida muito em breve. Das 4 propostas concorrentes, parecem destacar-se as chinesa e alemã, com os preços de 3,45€ e 3,25€ por acção, respectivamente. Ao preço mais favorável, a proposta chinesa acresce um conjunto de contrapartidas financeiras muito mais atractivas que a proposta da alemã Eon. Para se perceber melhor a importância das propostas, a cotação actual da EDP ronda os 2,40€, o preço base do caderno de encargos da privatização os 2,80€ e os target price da EDP a um ano, segundo um conjunto de analistas financeiros, é inferior ao preço mais baixo destas propostas! Estrategicamente, a administração da EDP pronunciou-se favoravelmente sobre ambas, para deixar as mãos livres ao Governo. Propostas e mulheres, têm eixos concêntricos (visão económica lírica e não machista)e daí a analogia que se segue. De um lado um linda proposta morena, com um dote de por os olhos em bico a qualquer um e do outro uma proposta robusta, aconchegante e lourinha com uma madrinha influente. O meu pai costumava dizer-me que as chinesas (asiáticas em geral) eram as mais belas mulheres, mas que as alemãs eram umas mulheraças. A administração da EDP, tal qual Marco Paulo, diz que tem dois amores. Diz-se também que os homens preferem as louras e consta que um batalhão de juristas, se esmera em pareceres sobre a superioridade dos predicados germânicos. Os jornalistas preparam-se para a contenda e os jornais têm as máquinas de impressão prontas. Até lá, fiquemos a trautear a emblemática canção do Marco Paulo: "eu tenho dois amores, que em nada são iguais e não tenho a certeza, de qual eu gosto mais"

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Renault - Nissan: as televisões finalmente acordaram

A suspensão é um eufemismo para o cancelamento da construção da fábrica de Cacia e isso é mau para o País. A disputa política já está em cena e a ocupar os telejornais.
Mas esta suspensão pode ser também uma nova e excelente oportunidade para outros sectores desde que o Governo aja rápido.
Se se reafectarem uma parte dos incentivos que iam ser concedidos a este projecto, a apoiar projectos de clusters que substituam importações ou sectores exportadores em que maioritariamente as matérias primas são nacionais, alargando os apoios do QREN, o efeito na economia e no emprego serão seguramente muito superiores uma vez que o Valor Acrescentado Bruto é muito maior. Algumas sugestões: cluster da pedra natural, agricultura biológica, produtos agrícolas processados e porque não sectores industriais tradicionais que têm revelado grande dinamismo e recuperação como o calçado, os têxteis e a cortiça?

Ainda sobre a Renault - Nissan

Bem me parecia que tinha que haver muito mais história para terem decidido suspender a construção da nova fábrica em Cacia. E deve ter ainda outros capítulos. A região de Aveiro e o País vão perder um investimento que potenciaria as exportações e reduziria a dependência dos consumos energéticos a partir dos hidrocarbonetos, embora do ponto de vista ambiental, tenha dúvidas sobre o impacto de longo prazo, tendo em conta o curto período de vida útil das baterias.

In Jornal de Negócios de hoje:
"Nissan: "Fim dos incentivos aos veículos eléctricos é grave"

A Nissan faz questão de frisar ao Negócios que não há uma relação de causa-efeito entre a decisão de suspender o investimento de 156 milhões de euros na construção de uma fábrica de baterias em Aveiro e o fim dos incentivos aos veículos eléctricos, mas lembra que a decisão do novo Governo "é grave".

Recorde-se que o Governo de José Sócrates criou um sistema de incentivos à mobilidade eléctrica, que previa a concessão de um montante de cinco mil euros aos primeiros cinco mil compradores de veículos eléctricos - um investimento de 25 milhões de euros. A esses cinco mil euros acresceriam 1.500 euros caso o comprador desse o seu carro para abate.
Com a nova proposta de Orçamento do Estado para 2012, o prazo para a concessão do subsídios foi encurtado em um ano, passando a data limite de 31 de Dezembro de 2012 para 31 de Dezembro deste ano, ou seja, dentro de 18 dias.

Carris: continuando a indignação pela gestão danosa!


A notícia do Público já é de Abril de 2011:
"O relatório de contas da Carris de 2010, citado pela edição de hoje do “Correio da Manhã”, indica que o presidente da Carris, José Manuel Silva Rodrigues, e os vogais da administração Fernando Jorge Moreira da Silva, Maria Isabel Antunes e Joaquim José Zeferino receberam as quatro viaturas das marcas Mercedes, Audi e BMW no ano passado. A acrescentar a esta lista há a viatura da também administradora Maria Adelina Rocha, que conduz uma viatura paga pela empresa desde 2008.

Ao diário, a Carris indicou que os veículos foram “alugados em substituição de viaturas entretanto abatidas” e que “todas as viaturas estão regime de ALD [Aluguer de Longa Duração]”. De acordo com a empresa, o “valor mensal das rendas pagas, para as cinco viaturas, em 2010, foi de 4514 euros”, incluindo manutenção e seguro. O valor comercial das viaturas ronda os 176 mil euros. A empresa sublinha que o aluguer foi feito “em cumprimento escrupuloso do determinado pela Comissão de Fixação de Vencimentos”.

Esta semana foi divulgado que os capitais próprios da Carris estão negativos em 776,6 milhões de euros e que a administração da empresa pública teve um aumento nos vencimentos em 2010. O resultado líquido da Carris foi novamente negativo no ano passado, agravando-se para 42,3 milhões de euros.

Quanto aos custos com pessoal, a administração da Carris recebeu um total de 420.556 euros em 2010, traduzindo-se num aumento nos vencimentos dos cargos de topo de quase 33 mil euros em comparação a 2009, apesar dos cortes salariais decididos na administração pública. O presidente da Carris aufere mensalmente 6577 euros brutos. Cada vogal da administração 5727 euros."

A indignada contribuinte Marisa Moura escreveu assim à administração da Carris:

"Exmos. Senhores José Manuel Silva Rodrigues, Fernando Jorge Moreira da Silva, Maria Isabel Antunes, Joaquim José Zeferino e Maria Adelina Rocha,

Chamo-me Marisa Sofia Duarte Moura e sou a contribuinte nº 215860101 da República Portuguesa. Venho por este meio colocar-vos, a cada um de vós, algumas perguntas:
Sabia que o aumento do seu vencimento e dos seus colegas, num total extra de
32 mil euros, fixado pela comissão de vencimentos numa altura em que a empresa apresenta prejuízos de 42,3 milhões e um buraco de 776,6 milhões de euros, representa um crime previsto na lei sob a figura de gestão danosa ?
Terá o senhor(a) a mínima noção de que há mais de 600 mil pessoas desempregadas em Portugal neste momento por causa de gente como o senhor(a) que, sem qualquer moral, se pavoneia num dos automóveis de luxo que neste momento custam 4.500 euros por mês a todos os contribuintes ?
A dívida do país está acima dos 150 mil milhões de euros, o que significa que eu estou endividada em 15 mil euros. Paguei em impostos no ano passado
10 mil euros. Não chega nem para a minha parte da dívida colectiva. E com pessoas como o senhor(a) a esbanjar desta forma o meu dinheiro, os impostos dos contribuintes não vão chegar nunca para pagar o que realmente devem
pagar: o bem-estar colectivo.
A sua cara está publicada no site da empresa. Todos os portugueses sabem, portanto, quem é. Hoje, quando parar num semáforo vermelho, conseguirá enfentar o olhar do condutor ao lado estando o senhor(a) ao volante de uma viatura paga com dinheiro que a sua empresa não tem e que é paga às custas da fome de milhares de pessoas, velhos, adultos, jovens e crianças?
Para o senhor auferir do seu vencimento, agora aumentado ilegalmente, e demais regalias, há 900 mil pessoas a trabalhar (inclusive em empresas estatais como a "sua") sem sequer terem direito a Baixa se ficarem doentes, porque trabalham a recibos verdes. Alguma vez pensou nisso? Acha genuinamente que o trabalho que desempenha tem de ser tamanhamente bem remunerado ao ponto de se sobrepôr às mais elementares necessidades de outros seres humanos?
Despeço-me sem grande consideração, mas com alguma pena da sua pessoa e com esperança que consiga reativar alguns genes da espécie humana que terá com certeza perdido algures no decorrer da sua vida."

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Renault - Nissan: a nova versão da história da carochinha!


Segundo notícias de hoje, a Renault-Nissan terá suspendido a construção da fábrica de baterias prevista para Cacia porque concluiu agora que as quatro fábricas existentes no mundo seriam suficientes para os objectivos de produção.

Então em Fevereiro, quando o então primeiro-ministro José Sócrates, lançou a primeira pedra do investimento previsto de 156 milhões de euros, em que estiveram presentes altos quadros da Renault-Nissan, como o administrador responsável pelas operações da Nissan Motor, Toshiyuki Shiga e o vice-presidente da Nissan Motor e presidente da Nissan Américas, o português Carlos Tavares, a empresa não tinha feito previamente esses estudos?

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Desafio público aos pilotos da TAP!

Parece que feri algumas susceptibilidades com o post anterior. Como assumo com frontalidade as minhas posições aqui deixo a sua fundamentação:
1- A legislação vigente impõe que uma sociedade quando perde metade do seu capital social, terá de repor aquele nível mínimo ou deve ser liquidada;
2- Os capitais próprios da TAP em 31/12/2010 eram negativos em 264,811 milhões de euros; no ano anterior eram negativos em 204,626 milhões de euros; em rigor, já não deviam ser designados capitais próprios, mas sim apenas capitais alheios;
3- O Passivo da TAP em 2010 era de 2.351,634 milhões de euros; no ano anterior era de 2.229,021 milhões de euros;na prática, se todos os activos da empresa conseguissem ser vendidos pelo valor que estão contabilizados, o que certamente não aconteceria - veja-se o exemplo do BPN -, ficaria "um buraco" de 265 milhões de euros; como a TAP só consegue empréstimos com o aval do Estado, os empréstimos terão que ser pagos pelos nossos impostos;
4- A TAP há vários anos que está em falência técnica e apenas sobrevive porque tem aumentado as suas dívidas e porque os seus prejuízos são garantidos ou pagos pelo Estado, que relativamente à TAP não faz cumprir a legislação, senão já teria aumentado o seu capital com os nossos impostos ou encerrado a empresa;
5- Há mais de 10 anos que a TAP está para ser vendida e é-nos transmitida uma pseudo fantástica recuperação da TAP, apresentando Fernando Pinto como o gestor modelo, quando haveria centenas de gestores portugueses tão ou mais capazes e que custariam um décimo ou menos do que lhe estamos a pagar; reavaliar património e alienar imobilizado como foi feito alguns anos, melhora os indicadores mas não altera nada do ponto de vista estrutural;até um estagiário saberia fazer isso;
6- Este mês os contribuintes portugueses estão a pagar um imposto extraordinário sobre o subsídio de Natal para cobrir o défice exagerado provocado por gestões danosas dos dinheiros públicos, entre as quais a da TAP; algumas das pessoas afectadas com este corte de vencimento, ganham pouco mais que o salário mínimo e trabalham 40h por semana, sem direito a viagens gratuitas de avião para si e para a família;
7- Os pilotos da TAP são um dos grupos profissionais mais bem pagos e de menor dimensão dentro da TAP mas a sua greve paralisa a empresa; por acaso não aderiram à greve geral em Novembro, mas infelizmente não puderam trabalhar devido à greve dos demais trabalhadores da TAP;
8- Corre na internet, uma listagem das remunerações e prémios dos pilotos, indicando nominalmente o que cada um recebeu nos últimos tempos (estou a ponderar a publicação da listagem); se compararmos os valores auferidos por pilotos da Força Aérea, perceberemos a verdadeira dimensão das vantagens dos pilotos da TAP; também poderíamos comparar com as remunerações de outras profissões altamente qualificadas da administração pública, p.e. cirurgiões de referência internacional;
9- Não há solidariedade dos pilotos da TAP com quem ganha o equivalente a uma ínfima parte das suas remunerações, a maioria dos quais não usa nem nunca usou o avião como meio de transporte, mas que tem que contribuir para suportar o insuportável custo desta greve; tal como foi invocado o interesse nacional para a aplicação de medidas absolutamente excepcionais como a perda de 2 vencimentos aos funcionários públicos e pensionistas no próximo ano, devia o mesmo interesse nacional ser invocado para determinar a requisição civil dos pilotos; Espanha fez o mesmo com os controladores aéreos há cerca de um ano.
10- A TAP tem garantido padrões de segurança elevados, mas isso não chega; a sobrevivência no competitivo mercado do transporte aéreo não se compadece com as "mordomias principescas" a que muitas classes de trabalhadores da TAP, com destaque para os pilotos se habituaram; O que aconteceu recentemente na Quantas na Austrália ou na American Airlines nos USA, deviam ser exemplos a ter presente. Mas não. Prevalecem as decisões egoístas e irresponsáveis! E com toda a veemência, estou farto de dar para este peditório! Deixo um desafio público aos pilotos da TAP. Se as remunerações e benefícios adicionais são assim tão maus divulguem-nos e não se prendam em nacionalismos: procurem outra transportadora aérea para trabalhar!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

E se rifássemos a TAP?


Os pilotos da TAP anunciaram nova greve durante 4 dias que nos custará (pois é o contribuinte a pagar o défice da TAP) 20 milhões de euros. Actualmente somos cerca de 5 milhões a trabalhar o que significa que por dia de greve cada um dos trabalhadores portugueses contribuirá em média com um euro. Lembrei-me então que o preço que paguei há dias por umas rifas para ajudar uma associação, foi precisamente 1 € por cada uma. Porque não fazer umas rifas e quem ganhasse, além de ficar com a TAP de borla ainda teria de bónus os pilotos? Seriam os 4€ mais bem gastos em toda a minha vida!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Vamos promover a fileira produtiva da cortiça!

Vamos todos dar o nosso contributo para puxar pela fileira produtiva da cortiça. Não é apenas o sector corticeiro, mas também o montado de sobro e tantos pequenos agricultores que dele dependem, que podem beneficiar e consequentemente o País!

Façam yes nas duas questões que aparecem no final do artigo e ajudem a demonstrar que a rolha de cortiça é importante na escolha de um vinho!
http://www.viralvines.com/2011/12/03/natural-cork-versus-screw-caps-do-either-indicate-wine-quality/

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

(In)Seguro: nova cavadela, nova minhoca!


In Jornal de Negócios:
"O secretário-geral do PS, António José Seguro, defendeu hoje aplicação de sanções para os Estados-membros da zona euro com excedente financeiro e que depois se recusem a aplicar esse dinheiro na economia.

A ideia de António José Seguro foi assumida numa conferência promovida pelo Diário Económico, depois de também ter apoiado as correntes a favor da possibilidade de o Banco Central Europeu (BCE) emitir moeda e de um acordo em torno da emissão de eurobonds.

"É tão importante exigir consolidação aos países que têm desequilíbrios nas suas contas públicas como exigir aos países que têm excedentes nas suas contas públicas que coloquem esse dinheiro para dinamizar o consumo interno e, por essa via, ajudarem a estimular o sector exportador de países como Portugal", disse."

Investimento e que seja reprodutivo, isso não interessa para nada. É preciso é dinamizar a economia pelo consumo. Com jeitinho, além de lhes impormos que gastem em consumo o que decidiram economizar, até lhes podíamos impor em que gastar esse dinheiro. Eu sugeria que fossem obrigados a comprar computadores Magalhães!

Mario Monti abdica do salário de primeiro-ministro ao anunciar plano de austeridade


Exemplos que devem ser divulgados. Não se deve meter sempre tudo no mesmo saco

In jornal de Negócios: "O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, disse ontem que vai abdicar do seu salário de primeiro-ministro e de ministro das Finanças, ao anunciar ao país a adopção de um novo plano de austeridade.


"No momento em que exigimos sacrifícios a todos os cidadãos, parece-me ser meu dever renunciar ao meu salário", afirmou Monti numa conferência de imprensa, citado pela agência France Presse. "

Pensar com os pés


Não resisti a partilhar o email recebido de uma amiga.

"Primeiro olha a fotografia, se não perceberes nenhuma anormalidade,
lê o texto!

Se contar ninguém acredita...

Esses homens estão a instalar pilares de ferro numa calçada em frente à Câmara de Macedo de Cavaleiros, para impedir o estacionamento de carros em frente.
Olha atentamente a foto e responde à pergunta abaixo:
Quanto tempo achas que vai levar, para perceberem, onde está estacionada a carrinha deles?

Assim está o país!

Sem saída..."

Missão Sorriso

Independentemente de considerações de natureza comercial e fiscal que a iniciativa pode levantar, há imensos projectos que concorrem a este apoio e que têm uma enorme valia. Há-os para todas as sensibilidades e o difícil é escolher: projectos de associações que nos são próximas e mais queridas, projectos na área da oncologia, da inclusão, da protecção da criança, na prevenção da Alzheimer, etç, etç. O projecto que beneficiará do apoio, será aquele que reunir maior número de votações. O sítio é: http://missaosorriso.continente.pt/projectos.php Participe!

Povo que lavas no rio e talhas com o teu machado...

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

António José Seguro desilude


António José Seguro defendeu hoje que o corte no subsídio de Natal deste ano era evitável se se recorresse à transferência dos fundos de pensões da Banca. Seria realmente bom que tal fosse evitável, mas nunca com esta proposta de solução. Seguro mostra não estar à altura de quem aspira ser Primeiro Ministro. Numa situação tão adversa, pretender manter a linha da cosmética contabilista como solução para um problema orçamental estrutural é uma total irresponsabilidade. Estas operações, deviam ser neutrais do ponto de vista do défice orçamental pois transferem em simultâneo com os activos, responsabilidades financeiras presentes e futuras. O continuado recurso a este tipo de expedientes e a desorçamentação p.e. com as obras públicas das parcerias público privadas, empresas públicas, institutos e fundações é que camuflaram a verdadeira dimensão de décadas de despesismo público e gestão danosa, que nos lançaram na actual situação financeira. Os políticos que tomaram essas decisões desastrosas (para não lhes chamar criminosas), é que são os verdadeiros culpados de todos estes sacrifícios, com aumento de impostos, cortes sem precedentes nas regalias sociais e nos direitos que julgávamos adquiridos. Seguro, devia colocar a tónica na equidade dos sacrifícios, mas nunca apresentar como solução, operações de pura cosmética do défice. Os sacrifícios são inevitáveis. Não deviam era recair sempre nos mesmos!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Dívida Pública Portuguesa candidata a património da humanidade!

Face ao sucesso da candidatura portuguesa do Fado a Património Imaterial da Humanidade, as autoridades portuguesas terão agora apresentado candidatura similar para a Dívida Pública Portuguesa. A maior dificuldade da candidatura reside no facto de recentemente, a agência chinesa de notação financeira ter classificado como lixo a dívida portuguesa. Para reverter essa dificuldade, o Governo português contratou o duo Rui Pedro Soares e Paulo Futre como mediadores junto da delegação chinesa na UNESCO e que apresentarão o milionésimo primeiro cliente da PT como bom exemplo de campanhas milionárias de interesse recíproco. Entretanto, foi já constituída uma comissão de honra para a candidatura da Dívida Pública Portuguesa a Património da Humanidade, que entre outros contará com Oliveira e Costa, Dias Loureiro, Duarte Lima, Alberto João Jardim, Mário Lino e José Sócrates.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Itália leva Europa a ponto de não retorno

Esta crónica de hoje de um analista do Banco Big é elucidativa do sentimento de extremo pessimismo e da consciência profunda dos especialistas, do momento dramático que não apenas nós, mas a Europa e todo o sistema capitalista atravessa.

Análise de mercado (Canal BiG - Youtube) - 25/11

http://www.youtube.com/user/canalbancobig

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Vive-se a mais terrível crise mundial de que há memória e em Portugal assobiamos para o ar!

Ontem, nem a Alemanha conseguiu financiar-se nos mercados internacionais! Esta manhã vi declarações dos mais altos dirigentes sindicais que pareciam viver numa galáxia diferente como se nada do que acontece com a Itália, a Espanha, a França, a Alemanha e por aí fora, tivesse a ver com Portugal. Seguem-se alguns dos comentários sobre o facto da Alemanha não ter conseguido colocar ontem a dívida pública que pretendia. O que é que nós temos a ver com isso? Imaginem que crédito merecerão as empresas portuguesas! E sem crédito, não há investimentos (e às vezes nem a possibilidade de pagar despesas correntes como salários) e sem investimentos aumentará ainda mais o desemprego. A propósito, não notam como a nossa carteira fica mais leve sempre que vamos atestar o depósito de combustível?

"Este leilão não é nada menos do que um desastre para a Alemanha. Se a nação mais forte da Europa tem este tipo de dificuldades para conseguir capital, devemos temer os próximos leilões noutras nações europeias", declarou à Bloomberg o analista Mark Grant.

É mesmo isso que também defende à mesma agência de informação o estratega Marc Ostwald. "Não me consigo lembrar de um pior leilão. Se a Alemanha apenas consegue alcançar este tipo de participação, o que esperar do resto?", questionou-se.

"A crise sistémica na Zona Euro está a percorrer o seu caminho até países que são solventes e que têm economias competitivas, como a Alemanha. Eles estão na Zona Euro, logo a crise dissemina-se até eles", comentou à agência Fredrik Erixon.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

PT exemplo de bom relacionamento com o cliente? Deixa-me rir...


O Grupo PT deu-me provas à saciedade de erros comerciais básicos e de uma prepotência absolutamente injustificada. Quando li que a PT foi considerada uma das "melhores empresas na área do relacionamento com o cliente" a única coisa que me veio à memória foi a canção de Jorge Palma "Deixa-me rir". Serei o único com fortes razões de queixa da PT?

Brisa - uma decisão estratégica com mestria!




In BPI online: "Privatização da ANA é a grande oportunidade de crescimento da Brisa

18/11/2011

A Brisa considera que a privatização da ANA, operação que o Governo quer lançar no próximo ano, é a sua “grande oportunidade de crescimento”.

No Dia do Investidor da empresa, que está hoje a decorrer em Lisboa, o administrador Daniel Amaral reafirmou o interesse do grupo em concorrer à privatização da gestora dos aeroportos nacionais.

Segundo a apresentação do responsável, “há um número muito limitado de “players” nacionais com capacidade financeira para investir” e esta é “uma oportunidade única para alguém com experiência na gestão de activos de infra-estrutura em Portugal”. A privatização da ANA é também a “única oportunidade real de crescimento nas infra-estruturas nos próximos anos”, a “concorrência é limitada” e é “dos activos menos expostos a Portugal”, destacou.

Por essa razão, Daniel Amaral acredita que a Brisa é entendida como podendo ser “o parceiro lógico para um número significativo de investidores”.

Por outro lado, considerou ainda que a entrada do grupo nesta área de negócio poderia significar um possível acesso a um contrato de operação e manutenção adicional no seu próprio mercado natural.

Na sua apresentação aos analistas, sobre a estratégia de crescimento e de diversificação do grupo, Daniel Amaral referiu ainda que a prestação de serviços de operação e manutenção a nível internacional é outro dos focos da Brisa.

Neste âmbito, referiu que a Brisa vai focar-se no desenvolvimento proactivo desta área de negócio na Índia e Estados Unidos, considerados mercados prioritários, mas sem perder de vista a Turquia."

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Ovar devia mudar o feriado municipal para o Carnaval?


O Carnaval é a festa mais emblemática do concelho, atraindo ao longo dos vários dias (e semanas) do evento, várias centenas de milhares de visitantes. A forte possibilidade do fim da tolerância de ponto no Carnaval, será um rude golpe neste importante evento para o concelho, porque a festa nos moldes actuais, não é sustentável apenas com a receita do "domingo gordo". Se se vier a confirmar o fim da tolerância de ponto naquele feriado, uma das possibilidades de minorar os impactos negativos para a festa vareira e a economia a ela ligada, seria alterar o feriado municipal de 25 de Julho (festa ao padroeiro S. Cristóvão) para a terça-feira de Carnaval (o que também não deixaria de causar alguns constrangimentos). Preços promocionais para a terça-feira com uma grande campanha concelhia, contribuiriam para uma "casa composta", com uma receita minimamente aceitável e um estímulo para quem desfila não descurar o desempenho. Quanto à noite mágica, parece difícil concebê-la em noite diferente de segunda-feira, face ao crescendo de animação até ao final do Carnaval, mas pode até não ser tão mau assim e indirectamente funcionar como moderador dos excessos dos últimos anos. A decisão sobre o feriado do Carnaval ainda não é definitiva, mas a sua importância para o concelho impõe pro-actividade.

Robalheira!


Em Portugal tem-se desenvolvido de forma extraordinária o humor e esta forma de expressão ganha maior dimensão seja no teatro, na televisão, na imprensa escrita, na caricatura, etç. Remetido por um amigo, aqui fica mais um exemplo (clique na imagem para conseguir ler).

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A belíssima Ria da Aveiro


Não resisti em captar esta imagem de um bando de flamingos, próximo do cais da Bestida na Murtosa, ao pôr-do-sol.

O argumento falacioso da estabilidade do emprego na função pública


Miguel Relvas argumentou com a estabilidade do emprego na função pública para justificar os cortes a estes trabalhadores dos subsídios de férias e de Natal. Será que não há consciência que no sector privado quem mais ganha é quem tem maior estabilidade no emprego e que quem ganha menos é que mais facilmente é despedido? Com aquele argumento acentua-se o estigma de que genericamente, todos os funcionários públicos são uns privilegiados. A desmotivação destes, pelo sentimento de injustiça da medida, pode mesmo levar a que os bons exemplos de funcionários dedicados e zelosos diminuam drasticamente. E não se trata de "puxar" todos para baixo, mas apenas de estabelecer medidas de reequilíbrio orçamental mais equitativas, porque se cada um pagasse em função dos seus rendimentos, todos pagaríamos menos. O erro é aceitável. Persistir no mesmo, NÃO!

Alexandre Soares dos Santos passou-se!


Já não são novidade as críticas frontais e duras de Soares dos Santos, Presidente do Grupo Jerónimo Martins, à classe política. Mas desta vez, penso que foi longe demais. Ele argumentou com a necessidade de gestores públicos competentes e que para isso teriam que auferir um vencimento muito superior ao do Presidente da República, até porque ele não faz nada! Muito mais que uma afronta directa a Cavaco Silva é um desrespeito ao mais alto cargo político da Nação. Então e o Primeiro Ministro e os Ministros que auferem uma percentagem do vencimento do PR, também não fazem nada? Também não precisam de ser competentes e de se escolherem os melhores?

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Orienta a tua diabetes


É já hoje o último dia para as inscrições na prova de Orientação promovida pela Associação de Diabéticos de Ovar. Trata-se de uma excelente e inovadora acção de sensibilização e prevenção para a doença com o custo simbólico de 1€. Traz os pais, os avós, os irmãos e os amigos e participa! Quem quiser pode fazer gratuitamente o rastreio.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Concessão das Águas do Porto - um modelo de gestão adequado

Rui Rio Presidente da Câmara Municipal do Porto acaba de anunciar a concessão por 30 anos de 45% do capital das Águas do Porto a privados. O Município mantém assim a maioria do capital e da gestão nomeando dois dos três gestores da empresa, recebendo 30 milhões de euros pela concessão e garantindo que os preços não podem ter um aumento superior à inflação durante a concessão, excepto nos primeiros 5 anos em que no máximo podem subir 1 ponto percentual acima da inflação. Aqui temos um excelente modelo de exploração que defende verdadeiramente o interesse público e os munícipes!

Família de Sócrates movimenta 383 milhões em offshores - circula petição para o julgar por gestão danosa

O Correio da Manhã e o Diário de Notícias de 6 de Setembro deram conta que a família do ex-primeiro-ministro José Sócrates tem 383 milhões em offshores. Os documentos terão sido entregues pelo advogado de Mário Machado o líder da extrema direita que se encontra preso, à Procuradoria-Geral da República, em Junho passado. A notícia refere que a empresa criada em 2000 no paraíso fiscal de Gilbraltar movimentou autênticas fortunas com uma outra empresa nas ilhas Caimão e em que, alegadamente os seus gestores são tio, tia e primos do ex-primeiro ministro José Sócrates. Circula agora por email, o apelo a uma petição para julgar José Sócrates por gestão danosa dos dinheiros públicos. No DN a notícia pode ser lida em: http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=1977989&especial=revistas%20de%20imprensa&seccao=tv%20e%20media e a petição está disponível em www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N9288

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Orientação na prevenção da Diabetes


No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Diabetes, a Associação de Diabéticos do Concelho de Ovar (ADCO) leva a cabo no domingo, dia 13 de novembro, uma iniciativa aberta a toda a população, visando sensibilizar para a problemática da Diabetes.

Trata-se duma actividade de Orientação que decorrerá pelas ruas da cidade, com início pelas 09h00 no Largo Almeida Garret, em Ovar. Em paralelo, a ADCO promoverá várias acções visando o rastreio da Diabetes na população.

Sob o lema “Orienta a tua Diabetes”, a iniciativa pretende esclarecer sob a forma de prevenir e detectar a doença, bem como desmistificar a prática do desporto nos seus portadores.

Esta actividade conta com os apoios do Clube Ori-Estarreja (organização técnica) e Atletas Fim de Semana (cedência do mapa). A taxa de inscrição tem o valor de 1 euro (a reverter a favor da ADCO) e inclui a participação na prova, rastreio de Diabetes e oferta de brinde.

Compareça, pela sua saúde!

(Apelo de Joaquim Margarido, entre muitas outras coisas, enfermeiro, fervoroso entusiasta e promotor da "Orientação" e um grande amigo de longa data)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Rui Rio e a Igreja Católica apelam à equidade dos sacrifícios


Começa a ganhar cada vez maior amplitude a contestação à injusta distribuição do esforço de correcção do desequilíbrio orçamental. Hoje foi a Igreja Católica e também Rui Rio, o Presidente da Câmara do Porto a expressarem o seu desacordo pelo desequilíbrio na distribuição dos sacrifícios. Não faz sentido que na defesa da "bandeira" do "corte na despesa" em vez do "aumento da receita" pela via dos impostos, se cometa tão grande iniquidade. Espero que o bom senso prevaleça e o Orçamento de Estado para 2012 seja corrigido. Oxalá também não cometam o "esquecimento" de deixar o Banco de Portugal, a CGD e a TAP de fora deste esforço colectivo.

domingo, 6 de novembro de 2011

Seguro marca golo de grande penalidade!


António José Seguro defendeu de forma muito assertiva a partilha de sacrifícios entre função pública e privados. O Presidente da República já tinha dito o mesmo há semanas atrás. Na passada semana um magistrado considerou o corte dos subsídios à função pública um "confisco" e por isso ilegal, aconselhando os lesados a recorrerem aos tribunais. Compreendo as razões do Governo mas considero que foi uma decisão errada. Pretendeu-se criar a ideia de corte na despesa e não de aumento de impostos como acontece este ano com a tributação do subsídio de Natal. Formalmente é diferente, mas para os afectados, o efeito é similar, com a nefasta diferença que não há equidade na distribuição do esforço exigido. Também não entendo que se exija mais tempo de trabalho aos privados e não se faça o mesmo à função pública. Parece implícito que os funcionários públicos têm pouco que fazer e meia hora diária a mais, seria para continuarem a não fazer nada. Mas esta medida poderia p.e. acabar ou reduzir drasticamente o recurso ao trabalho extraordinário e contribuir para que vários serviços não tivessem os actuais atrasos melhorando a capacidade de resposta dos mesmos. Esta situação é tanto mais iníqua, quando a maioria dos privados tem horários, de 40h semanais e os públicos de 35h ou até bem menos em várias profissões. Enquanto se mantiverem diferenças ao nível dos horários de trabalho, do número de dias de férias, da idade de reforma, dos serviços de saúde, etç, etç, subsistirá o estigma que os funcionários públicos são uns privilegiados e continuarão a ser o bode expiatório duma desgovernação política de décadas. Em "futebolês" diria que o Governo fez uma falta dentro da grande área onde não há margem para erros e António José Seguro aproveitou para marcar um golo de grande penalidade!

sábado, 5 de novembro de 2011

DEFICIÊNCIAS - Mário Quintana



Mário Quintana foi um poeta e pensador brasileiro que viveu no século XX. Aqui fica para reflexão um dos seus escritos.







'Deficiente' é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.
'Cego' é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
'Mudo' é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
'Paralítico' é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
'Diabético' é quem não consegue ser doce.
'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer. E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
'Miseráveis' são todos que não conseguem falar com Deus.

'A amizade é um amor que nunca morre. '

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Corte permanente nos Subsídios de Férias e de Natal: não, talvez, SIM!

As entrevistas recentes dos Ministros Vítor Gaspar e Miguel Relvas e as declarações do Primeiro Ministro fazem-me acreditar que o caminho está traçado e que será: eventual prolongamento do período de não pagamento dos subsídios se em 2012 houver renegociação com a "Troika", período de transição em que apenas será paga uma parte destes e na fase final, talvez lá para o próximo mandato em 2015 ou 2016, a incorporação parcial dos subsídios no vencimento mensal. Além de mais simples, teoricamente é relativamente indiferente o pagamento dos subsídios nos moldes habituais ou a sua diluição nos 12 meses trabalhados. Em termos estritamente financeiros, até seria mais benéfico para os trabalhadores e penalizador para as entidades patronais. Poderá ser apresentado como exemplo o Luxemburgo que tem um rendimento per capita fantástico e onde apenas são pagos 12 meses. Mas na prática não será assim e haverá uma perda permanente de rendimento. Na administração pública e reformados, porque o valor global da despesa não pode subir para os níveis pré-existentes (antes da redução de salários e corte dos subsídios) e porque se estenderá necessariamente à actividade privada. Além disso, com a elevadíssima taxa de desemprego (e que ainda continuará a subir), o normal funcionamento do mercado de trabalho levará a que os valores nominais das novas contratações sejam iguais ou até inferiores aos actuais e que não têm os subsídios incorporados. Não se vislumbra no horizonte de médio prazo a reposição do nível de vida que os portugueses tinham.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

É preciso muito descaramento!

O Orçamento da Assembleia da República para 2012, constante da Resolução da AR n.º 131/2011, foi publicado no DR n.º 200, 1ª série de 18 do corrente mês. Os 230 deputados vão custar-nos no ano de 2012, onde a austeridade atingirá violentamente a maioria dos portugueses, a módica quantia de 95.394.581€ ou seja, um valor médio de quase 415.000€ por deputado. Provavelmente, parte significativa dos deputados pensará até que a redução orçamental é excessiva. Neste orçamento da AR para 2012, as subvenções aos partidos é de cerca de 15,7 M€, a assistência técnica e outros trabalhos especializados vai custar mais de 5,4 M€, as deslocações e estadas 1,5 M€, as ajudas de custo mais de 3 M€, os transportes cerca de 3,5 M€, etç, etç. Até uma Associação dos Ex-Deputados nos vai custar 42.522€!!! Mas em nome de quê, nos fazem pagar para uma associação de ex-deputados? Mas o que realmente me choca, é que se cortem os subsídios de férias e de Natal aos funcionários públicos e reformados para 2012 e 2013 (para já) e que neste orçamento se mantenha essa rúbrica para os deputados com um valor de 2.093.650 €! Um dia destes a paciência acaba e deixamos de ser um povo manso...

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Directores da PSP sem ética e sem vergonha!

O DN de hoje, noticia que o director nacional, três directores-adjuntos e o inspector nacional da PSP ter-se-ão aumentado a si próprios em 2010 contornando a legislação vigente, enquanto se mantinham congeladas as remunerações da maioria dos polícias.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Tolerância zero à exclusão do Banco de Portugal no esforço financeiro nacional

O CDS/PP forçou o Governo e bem, à alteração do OE 2012 passando a incluir as subvenções dos políticos que incompreensivelmente tinham ficado de fora neste esforço colossal (o termo está na moda) de recuperação financeira nacional, bem como a introdução de limites à acumulação de pensões. Mas com que argumento intelectual, económico, financeiro, de justiça social, de equidade ou qualquer outro, se excluíram os funcionários do Banco de Portugal no esforço financeiro nacional, não estando os mesmos sujeitos nem aos cortes que foram aplicados à função pública em 2011 nem aos que agora se fazem no Orçamento de Estado de 2012? São situações como esta que transmitem um profundíssimo sentido de iniquidade na distribuição dos sacrifícios que estão a ser exigidos e criam movimentos de indignação que são o prelúdio de perigosas convulsões sociais. É imperioso que o Governo corrija de imediato estas situações sem que o faça forçado pelos movimentos cívicos ou políticos. Não há margem para erros de opções políticas ou de governação. Com Portugal à beira do precipício, a TOLERÂNCIA É ZERO!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Humor em tempos de crise - O Orçamento de Estado para 2012

É reconhecida a capacidade criativa e humor dos brasileiros e como ele foi importante mesmo nos tempos em que a liberdade era cerceada. A crise portuguesa tem também revelado que em Portugal, a mordaz crítica humorística ganha dimensão crescente. O saudoso contra informação era para mim um dos expoentes máximos desse humor corrosivo. E como faz falta! Enquanto isso, deixo-vos com um vídeo acabadinho de receber por email, com a pendisk que contém o orçamento de estado para 2012.

video

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O galinho da Madeira

Aqui deixo esta bela canção em homenagem à nossa pérola do Atlântico (à pessoa e não à ilha).
video

RTP: 12,8 milhões para indemnizar 300 trabalhadores?

O jornal "i" na sua edição de hoje dá conta que a RTP poderá ter que gastar 12,8 milhões de euros caso opte por dispensar os 300 trabalhadores que deverá abranger o plano de reestruturação que entregou ao Governo e que ainda está em apreciação pelo ministro Miguel Relvas.

Começa assim, a ganhar contornos o processo de privatização.

Sou dos que acreditam na necessidade de um serviço público de televisão. A divulgação do novo acordo ortográfico, programas sobre história, debates públicos sobre temas de relevância nacional, a promoção do turismo em português como este ano foi largamente feito, percorrendo todo o País e mostrando o que de melhor temos de património histórico, cultural, paisagístico, de bem estar e saúde, de lazer, gastronómico, etç, são alguns dos bons exemplos desse serviço público. Mas, a recorrente transmissão de touradas faz parte desse serviço? E a transmissão de tantos jogos de futebol da primeira liga? Se fossem os da selecção, até se compreendia. E a proliferação de canais é justificável? E não existem meios internos para a produção de mais conteúdos próprios, sem recorrer tanto à subcontratação de produtores externos?

São as ineficiências e erros de gestão que fazem denegrir a imagem do serviço público, levando depois ao emagrecimento forçado, ao desemprego e a que sobre todos nós recaia o ónus de o pagar.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Boa União em Concerto - Esta noite no Centro de Arte de Ovar

O espectáculo inclui a actuação do Sexteto Dynâmica, da Big Band e da Banda Filarmónica da Sociedade Musical Boa União. Conta ainda com as participações especiais da Populum Escola de Danças e da cantora Ana Rita Carvalho. Será certamente um excelente espectáculo e se pretende assistir, APRESSE-SE. É que a lotação está quase esgotada, apenas estando disponíveis neste momento, 27 lugares!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Aveiro - Falo ou não falo, eis a questão!

Uma estátua de um pénis de grandes dimensões colocada no mercado do peixe em Aveiro, está a causar grande polémica. A artista plástica das Caldas da Rainha,homenageia o símbolo fálico tão característico daquela cidade e a Vereadora da Cultura da Câmara de Aveiro, também pareceu entusiasmada com o impacto que a mesma está a ter na divulgação da X bienal Internacional de Cerâmica de Aveiro. Os falos, provocam sempre (ou quase) um grande impacto. Lembrava-me da polémica provocada há uns anos pelas estátuas de Cargaleiro no cimo da Av. Eduardo VII em Lisboa, quando me ocorreu outra recordação, bem mais antiga, dos inícios dos anos 70. Não foi uma escultura mas uma pintura que um antigo colega de escola num momento de inspiração resolveu fazer num muro do então ciclo preparatório. Era também um símbolo fálico de grandes dimensões que impressionou a comunidade escolar e pôs as meninas em fila indiana a espreitar para o muro. Valeu-lhe uma semana de suspensão. Ah Zeca, como foste injustiçado. Sempre foste um artista à frente do teu tempo. Hoje expunhas na Bienal!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Velocidade elevada e não TGV - finalmente uma excelente decisão!

Sempre expressei claramente o meu desacordo relativamente à opção do TGV para Portugal. Em especial, da linha entre Lisboa e Porto que esquartejaria o litoral urbano para escassa economia de tempo e com um custo de construção exorbitante e impacto ambiental enorme. A única ligação que podia fazer sentido e apenas por razões estratégicas, seria a ligação Lisboa- Madrid. O anúncio da suspensão do TGV e agora a construção de duas ligações a Espanha em velocidade elevada e não TGV, uma em Sines e outra em Aveiro fazem todo o sentido e merecem o meu aplauso. Em ambos os casos, existem portos marítimos importantes para facilitar o transporte de mercadorias. Por outro lado, os eixos agora definidos, fazem uma cobertura geográfica e demográfica, balanceada com a enorme escassez de recursos financeiros do País, sem desaproveitar os fundos comunitários. Estou também convicto que a beneficiação da linha do Norte terá prioridade e só espero que finalmente se lembrem da inacreditavelmente abandonada Estação de Ovar que parece ter parado no tempo em meados do século passado.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Estudo europeu alerta que China "está a comprar a Europa". E eu acrescento: só a Europa? E os USA?

Deixo aqui a notícia do Bpionline:
"Outrora um grande mas distante parceiro comercial, a China também é agora um poderoso actor dentro da própria Europa", afirma o estudo, assinado por três investigadores do European Council on Foreign Relations (ECFR).

A Europa não é uma fonte de matérias-primas, mas "possui tecnologias avançadas que interessam à China" e, além disso, "necessita de dinheiro a curto prazo", o que a China parece possuir em grande quantidade.

Há cinco anos - salienta o estudo - o investimento chinês na Europa somava 1.300 milhões de dólares (948 milhões de euros): em 2011, aquisições de empresas chinesas em Espanha, Hungria e Noruega excederam, cada uma delas, aquele montante, salienta.

Entretanto, um fabricante automóvel chinês, a Gelly, sediado em Hangzhou, leste da China, comprou a Volvo e empresas chinesas de transportes "estão a comprar, alugar ou a gerir portos, aeroportos e bases logísticas através do continente europeu", exemplifica o estudo.

Os autores do estudo - François Godement, Jonas Parello-Plesner e Alice Richard - defendem, contudo, que a Europa "não deve recorrer ao proteccionismo", mas reclamar "reciprocidade".

"A Gelly pode comprar a Volvo, mas a Volvo não poderia comprar a Gelly", observou Jonas Parello-Plesner num encontro com jornalistas e diplomatas na Embaixada da Dinamarca em Pequim, promovido pelo FCCC (Foreign Correspondente Club of China).

O estudo alerta que "enquanto competem uns com os outros para atrair investimentos chineses, os países europeus reduzem a capacidade de negociar colectivamente o recíproco acesso aos mercados chineses".

"Os europeus não devem culpar a China por aproveitar a oportunidade para expandir a sua influencia dentro da Europa (...) Devem, antes, unir-se para que as empresas europeias possam competir na China da mesma maneira que as companhias chineses competem na Europa", preconiza o estudo.

Em 2010, a China tornou-se a segunda maior economia do mundo, ultrapassando o Japão, e as suas reservas em divisas atingiram em Junho passado cerca de 3,2 biliões de dólares (2,34 biliões de euros), mais 30,3 por cento que um ano antes.

Criado em 2007, o European Council on Foreign Relations assume-se como "o primeiro think-tank pan-europeu" e a sua direção inclui, entre outros, Javier Solana, Emma Bonino Joschka Fischer e Timothy Garton Ash.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Humor, mas muito negro para os nossos bolsos!

Taxa de Desemprego em Ovar ultrapassa os 12%

Fiquei perplexo quando li na edição do Praça Pública de 14 do corrente, em destaque na primeira página o título “Desemprego em Ovar cai para taxa de 6,2%”. Trata-se de uma informação incorrecta que induz os leitores em grave erro. Com efeito, a taxa de desemprego mede a proporção de desempregados na população economicamente activa e não na população total. Em termos simplistas, são excluídos da população economicamente activa, os reformados, as crianças e jovens estudantes. É esta a taxa que é utilizada nas comparações nacionais e internacionais. Em Ovar, há vários anos que o desemprego tem vindo a assumir uma dimensão preocupante. Em 1991, a taxa era de apenas 5,8% e uma década depois em 2001, situava-se nos 6,4%. Em 2004 e 2005 a situação agravou-se significativamente e aquela taxa passou para os 7,3% e 8,2%, respectivamente. Infelizmente o desemprego continuou a agravar-se e no final de 2008 atingia já os 10,4% e em termos absolutos 2.956 desempregados. Mas o pior estava ainda para vir e na maioria dos meses de 2009 e 2010 a taxa de desemprego em Ovar oscilou entre os 13% e 14%. Em Julho de 2011 os 3.466 desempregados do concelho, significavam uma taxa de desemprego em Ovar ligeiramente superior a 12%. Dos dados publicados pelo IEFP poderão retirar-se três conclusões de relevo: a taxa continua muito elevada e superior à média nacional, a variação relativamente ao período homólogo (em Julho de 2010 o número de desempregados era de 3.829) é mais positiva que a média nacional (reduziu 9,5% contra os 4,4% a nível nacional) mas a tendência de descida foi interrompida e desde Maio que o desemprego se voltou a agravar (3.400 desempregados em Maio, 3.413 em Junho e 3.466 em Julho). Há ainda que ter em conta a sazonalidade do trabalho temporário de Verão e a grave recessão em que previsivelmente o País mergulhará no quarto trimestre de 2011, o que poderá significar novo agravamento da taxa de desemprego a curto prazo.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

"Governo meteu 15 milhões na ex-Aerosoles para aguentar até às eleições"


Entrevista do Dr. Artur Duarte ao Jornal de Negócios: "Ex-dono daquele que foi o maior grupo português de calçado conta a sua versão sobre os passos que levaram o Estado a converter um gigante num anão.
Quarta-feira, 7 de Setembro: o Negócios encontra Artur Duarte no “stand” da Move On, na GDS, feira de calçado alemã em Dusseldorf.

Um momento e cenário oportunos para conhecer a versão do fundador do grupo Investvar (então mais conhecido pela marca Aerosoles) sobre o processo que transformou o maior grupo nacional de calçado, que chegou a empregar 1.350 pessoas em Portugal, atingindo vendas de 100 milhões de euros, numa empresa controlada pelos indianos da Tata que factura 20 milhões e tem 150 pessoas.

Nota: muitas questões ficaram de fora por falta de respostas em “on”. Leia a entrevista em papel no Negócios de hoje."

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Quem quer ser capitalista?

Nunca ser capitalista esteve ao alcance de tantos e bem se podia dizer que Portugal podia ser um bom exemplo do capitalismo popular. De facto, qualquer pessoa pode ser accionista do maior banco privado português e tornar-se patrão de milhares de trabalhadores. As acções do BCP hoje chegaram a cotar abaixo dos 22 cêntimos (valor a que fechou a sessão). Assim, se tivesse optado por não tomar um café, poderia comprar 3 acções ou se for fumador e fumasse hoje menos um cigarro, daria para comprar uma acção. Mas talvez fumando, obtenha mais prazer a queimar o seu dinheiro.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Bolsas em capitulação iminente

O ano de 2011 tem sido particularmente duro para a generalidade das bolsas mundiais. Nas últimas semanas as quedas acentuaram-se e têm sido particularmente violentas nos últimos dias, como aliás está a acontecer hoje. A Bolsa portuguesa não foge à regra e são várias as acções que acumulam desvalorizações em 2011, superiores a 50%. A conceituada analista Valérie Gastaldy referiu hoje como característica principal da semana na sua visão macroeconómica de curto prazo que "Todos os activos estão alinhados para sair da consolidação. A capitulação está iminente."

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Trespasse

Agora que Agosto está a chegar ao fim, trespasso um óptimo lugar de pesca no paredão de S. Jacinto, muito frequentado e equipado com solário e "ventário". Excelente acesso a bons restaurantes de peixe. Também aceito permuta por lugar em SPA termal.

domingo, 24 de julho de 2011

Apetece-me emigrar para outra galáxia!

O terrorismo é uma das mais duras realidades das últimas décadas e muitas vezes uma resposta "barata" em contraponto com a violência "cara" da guerra. Ambos têm efeitos devastadores e provocam dramas e tragédias inimagináveis. O Mundo está em choque com os recentes atentados na Noruega. Mas o fanatismo e o ódio têm sido alimentados pelo sistema económico do mundo ocidental. Deixo aqui o link para o depoimento
"Let's make money" de John Perkins, cidadão americano que se auto-intitula como ex-assassino económico e onde ele explica como se destrói um país... em nome do dinheiro.
http://aeiou.expresso.pt/assassino-economico-como-se-destroi-um-pais=f659998.
Se não houver uma rápida mudança no sentido da forte atenuação das gritantes diferenças de nível de vida entre países e entre as pessoas em cada País, as convulsões vão continuar e agravar-se cada vez mais, levando o sistema capitalista ao colapso.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

No melhor pano cai a nódoa!

Ontem, a Praia do Furadouro e o concelho de Ovar tiveram provavelmente a maior promoção nacional e até internacional das últimas décadas, através do programa televisivo "Verão Total" na RTP1. Este tem sido um bom programa de serviço público, divulgando o País e é seguramente um excelente contributo para se consumir turismo em português. Dos excertos que vi do programa, achei mesmo muito positivo. Mas no melhor pano cai a nódoa. A reportagem numa tanoaria em Esmoriz deu uma imagem extremamente negativa do que é a realidade industrial do concelho, mesmo tratando-se de uma indústria tradicional. Foi confrangedor ver a terceira geração dos proprietários a falar na internacionalização da empresa para países como a Holanda, a França e a China, referindo a venda dos pipos de carvalho para envelhecimento de wisky e de vinho de excelente qualidade, ao mesmo tempo que as imagens televisivas mostravam um trabalhador a polir o tampo do pipo com abundante pó da madeira e sem qualquer máscara de protecção, um layout produtivo totalmente anárquico como se produziam pipos há mais de 40 anos e um espaço produtivo completamente degradado fazendo lembrar um país do terceiro mundo. Neste momento particularmente difícil da vida nacional, seria importante que o Ministério da Economia através do IAPMEI, em articulação com o Ministério das Finanças, promovessem junto das PME exportadoras, acções de qualificação dos empresários. Portugal precisa!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Tudo é relativo


Há dias pesquei esta belíssima dourada em S. Jacinto. Bem grandinha por sinal. Fiquei tão satisfeito que para acompanhar o belíssimo repasto dessa noite escolhi um branco duma reserva do Dão 2006. Dois dias depois falava com um amigo que estava de férias nos Açores e contava-lhe com orgulho a façanha. Perguntei-lhe como estavam a correr as férias e ele com jeitinho para não me decepcionar, lá me contou que nessa tarde tinha ido à pesca de barco para a ilha do Corvo e pescado um peixe com 23 kg...

Ainda o "Allgarve"

Finalmente o portal do Turismo do Algarve contém a programação do Verão e está com boa funcionalidade. Também é muito apelativa a música do Rui Reininho (e letra plena de subtilezas) fazendo lembrar a inesquecível "Dunas". Não percebo a razão porque o Festival da Sardinha em Portimão que decorrerá este ano entre 3 e 12 de Agosto e com um programa fantástico não consta na programação do Allgarve nem na agenda diária. Não recebo comissão da Região do Turismo do Algarve nem da Câmara de Portimão, mas aqui ficam os endereços: http://www.allgarve.pt/ e http://www.visitalgarve.pt/visitalgarve/vPT/NaoPerca/Detail/?EventoId=1876.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Portugal "lixado"

A Moody's lixou-nos. Literalmente. A economia portuguesa foi ao tapete, os Bancos estão de gatas e vão ter muita dificuldade em porem-se de pé. A redução do rating de Portugal em 4 níveis de uma só vez, de forma completamente inesperada e injustificada, para um nível de risco de crédito considerado lixo, foi um duro golpe. O nosso Primeiro Ministro disse que foi como um murro no estômago. Eu acho que o golpe foi mais abaixo.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Portugal de olho na Grécia

A Grécia está pelas piores razões no centro das notícias internacionais de hoje. A insustentabilidade do despesismo incontrolado do Estado, as injustificáveis benesses aos funcionários públicos e políticos, o clientelismo e a corrupção levaram o berço da democracia à contestação social e ao caos. As consequências poderão atingir proporções inimagináveis e fazer a Grécia entrar em bancarrota e mergulhar numa guerra civil. Mas se isso acontecer, também outros países em dificuldades como Portugal e a União Europeia sofrerão fortemente. O designado "efeito dominó" no sector financeiro pode ter consequências gravíssimas ao nível europeu e até mundial. Na passada semana, as medidas restritivas da Administração Obama relativamente à Grécia reflectem esse enorme receio de contágio mundial. Oxalá que os partidos políticos em Portugal e as centrais sindicais, conscientes do muito peculiar momento histórico que se vive, estejam à altura das suas enormes responsabilidades para que se mantenha a paz social no País.

Falta de passageiros leva Espanha a suspender algumas ligações na alta velocidade


"Espanha vai suspender os três trajectos do comboio de alta velocidade que ligam Toledo, Cuenca e Albacete.

A partir de 1 de Julho, a Renfe, empresa concessionária da rede ferroviária em Espanha, anunciou a suspensão dessas ligações por falta de passageiros. As ligações foram iniciadas em Dezembro último.

Ao mesmo tempo que suspende essas ligações, a Renfe aumentará de onze para treze as frequências do serviço entre Avant e Toledo e Madrid.

O director-geral da área de passageiros da Renfe, Enrique Urkijo, citado hoje pelos jornais espanhóis, falou mesmo em seis meses de serviço como "um desastre", já que contava com apenas nove passageiros por dia, dos 2.190 viajantes potenciais em ambos os sentidos." In BPI Online de hoje.

Há alguns anos consultei o projecto do TGV (RAV) para Portugal e não tenho dúvidas que as previsões de utilizadores por ano está claramente sobre-avaliada e a Rede de Alta Velocidade será outro "elefante branco" com défices de exploração incomportáveis e a financiar por todos nós via Orçamento Geral do Estado. A única ligação que poderá fazer sentido, é Lisboa Madrid, mas apenas por razões estratégicas pois também não terá uma exploração rentável. A modernização da linha do Norte e a aposta nas potencialidades dos Alfa e Intercidades que podem circular a muito maior velocidade do que a actual, a supressão de todas as passagens de nível que ainda existem, a correcção do traçado onde as curvas são mais acentuadas e a criação de corredores de ultrapassagem são a aposta adequada à dimensão geográfica e populacional do País e compatível com a realidade económica e financeira. Além disso, não teria o impacto paisagístico, ambiental e de destruição de riqueza existente que o novo traçado da RAV acarretaria, especialmente nas zonas litorais no traçado Porto-Lisboa. Esperemos que a actual crise possa pelo menos ter a virtualidade de obrigar a corrigir tamanho erro!

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Allgarve - um triste exemplo de péssimo serviço público

Nos últimos tempos tenho andado a recuperar as férias que tinham ficado por fazer nos anos anteriores. Como o nosso Presidente da República tem apelado a consumir português pareceu-me bem neste início de Verão ver o que o Algarve tem para oferecer. Fiquei de boca aberta! Então não é que a menina dos olhos do turismo português, nesta data apenas tem a Guia de Eventos de Maio11? Como é possível tanta displicência e desleixo num portal de promoção do turismo do Algarve (www.visitalgarve.pt)? De que serve ao turista português ou estrangeiro, a tabela das marés de Maio ou os eventos culturais já realizados? Apenas a referência à Fiesa - Feira Internacional de Esculturas em Areia em Pera e às Dez Monumentais Esculturas Britânicas da colecção Berardo em Vilamoura se mantêm actuais. Como é possível que a Região de Turismo do Algarve com uma estrutura orgânica pesada de mais de 100 pessoas que inclui um Presidente de quem depende o Programa Allgarve, mais 4 Vice-Presidentes, Gabinete de Apoio ao Programa, de Gestão de Qualidade, de Contabilidade, Economato, Tesouraria, de Marketing com serviços de Comunicação e Imagem, Promoção e Animação, Investimento e Desenvolvimento e Informação Turística, que nos custam a todos nós mais de 8M € por ano, em pleno Verão apenas tem a agenda de Maio? Acordem!!! Toda a programação do Verão já DEVIA estar publicitada há muito! Um projecto financiado pelo Turismo de Portugal e pelo Algarve Digital e com conteúdos completamente desactualizados? Aqui fica a minha pública indignação e o apelo à comunicação social nacional para que denuncie esta vergonha escandalosa!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Estado anquilosado

Notícias de hoje dão conta que uma auditoria da Inspecção-Geral das Finanças (IGF) às despesas do Ministério da Justiça detectou diversas irregularidades. Foi dado destaque a "minhoquices" embora algumas caricatas, como o pagamento de 165 mil euros em excesso de subsídio de compensação a magistrados jubilados já falecidos. Mas o que mais me espantou (acho que já nada me devia espantar) é que o próprio Ministério da Justiça ao processar o subsídio de fixação atribuído aos magistrados judiciais e do Ministério Público e o suplemento de fixação dos funcionários judiciais que prestam serviço em comarcas periféricas não tenha feito a devida retenção de IRS. Só em 2009 a IGF estima que o IRS em falta tenha sido de 4,9 milhões de euros!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Paulo Macedo, novo Ministro da Saúde

Paulo Macedo, novo Ministro da Saúde renunciou ao cargo de Vice-Presidente do Conselho de Administração Executivo, bem como todos os demais cargos sociais que exercia no Grupo Millennium BCP. As remunerações que lá auferia seriam seguramente muitíssimo superiores às que irá receber como Ministro. Subscrevo na íntegra a opinião de Medina Carreira que referiu que pessoas assim, dão uma confiança acrescida pois não dependem financeiramente da política. O seu desempenho como Director Geral das Contribuições e Impostos fazem-me ter muita esperança que finalmente alguém consiga rigor na gestão e controlo nas contas do Ministério da Saúde, definindo prioridades adequadas aos recursos financeiros que é possível mobilizar, maximizando a qualidade deste serviço essencial.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Machista?


Há já algum tempo que tenho recebido várias reclamações sobre o teor de alguns dos meus "posts". Carme Chacón, Gabriela Ventura, Soraia Chaves e a última referência a Bo Derek valeram-me críticas de machismo e quase me iam custando uma noite no sofá! Sinceramente acho que a crítica é injusta. Ou também será machismo, quando em cortesia abro a porta do carro (mesmo sem este ser novo)? Pelo sim pelo não, nesta fotografia da Bo Dereck a cavalo, ela está vestidinha. Quanto aos posts com as fotografias, nomeadamente de Carme Chácon e Soraia Chaves eu acho que estão a levar a questão muito a peito!

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Candidatos a magistrados - uma grande lição!

Hoje é notícia nacional de relevo, terem sido apanhados a copiar num exame, 137 futuros juízes! Como punição foi-lhes atribuída nota 10. Recordo-me a despropósito, que também à Bo Derek lhe tinha sido atribuída nota 10 pela participação num filme conhecido em que aparecia nua a cavalo. Talvez a escala não fosse a mesma. Mas vamos à grande lição para estes futuros magistrados! Primeiro: se prevaricarem, não sejam totós, tomem todas as precauções para nunca se deixarem apanhar;
Segundo: Quando vierem a julgar alguém, tenham sempre presente como atenuante o velho ditado popular "a ocasião faz o ladrão" e o grande princípio bíblico de "quem nunca errou que atire a primeira pedra"; Terceiro: se prevaricarem confiem sempre na justiça, pois nunca vos há-de acontecer nada!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

O futuro do PS

In Bpionline: Ao partido que José Sócrates secou ideologicamente, está reservado um corpo-a-corpo letal: consigo próprio. Durante os últimos anos o clube de amigos de Sócrates que ocupou a liderança do PS quis transformar-se no próprio Estado. Sócrates desejava ser Sandman, o homem-areia. Esteve quase a conseguir sê-lo. O PS de Sócrates moldaria o Estado e este moldaria o PS. O novo PS parecia ter ido beber o seu suco ideológico à "terceira via" de Tony Blair. Errado: queria apenas ser o Partido Revolucionário Institucional nacional. Sem o Estado, afastado Sócrates, o PS parece uma árvore seca: não tem ideias e vai ter de encontrar novamente uma fonte de juventude ideológica. Não está só. Em toda a Europa a esquerda que ocupou o centro e geriu a nova realidade da democracia de consumo global, esvaiu-se. Ficou sem forças e sem ideias. O PS não entendeu esta crise económica e o alçapão que ela colocou por debaixo de líderes de países mais frágeis. E Sócrates ficou preso por aquilo que o antigo ministro britânico, David Owen, chama o Síndrome da Presunção: deixou de escutar, só ouvindo aquilo que uma qualquer voz celestial lhe comunica. O PS reduziu a política democrática a um exercício de confrontação partidária, não ideológica, e isso leva a que se tenha dissolvido numa inexistência militante. Esta crise financeira colocou problemas aos partidos socialistas como nunca existiram: da anemia do Estado social ao desemprego galopante. Seco por Sócrates, o PS deixou de ter o elixir das respostas. Conseguirá encontrá-las?

terça-feira, 7 de junho de 2011

"Primeiro-ministro da crise islandesa" está sentado no banco dos réus


In Bpionline: O antigo primeiro-ministro islandês Geir Haarde está hoje em tribunal, acusado formalmente de ter contribuído para a crise, ao não conseguir evitá-la, e de ter falhado nos seus deveres para lidar com as consequências.

Com 60 anos, Haarde é o primeiro chefe de governo a ser julgado pela mais recente crise na Islândia. É, aliás, a primeira pessoa levada perante o Landsomur, um tribunal criminal especial criado em 1905 para julgar as acusações contra ministros do governo islandês.

O ex-líder do Executivo islandês rejeita todas as acusações. No entanto, se for considerado culpado, pode ser condenado a uma pena de prisão, salienta a Associated Press.

O Parlamento da Islândia decidiu, em Setembro passado, acusar formalmente Geir Haarde por ter alegadamente fracassado no dever de evitar a crise de 2008. Esta crise gerou uma forte contestação social no país e fez cair o governo, lembra a mesma fonte.

O Executivo de Haarde caiu no início de 2009, durante a onda de protestos públicos. Três meses antes, o primeiro-ministro tinha dito aos cidadão que, após a implosão do sistema bancário do país, deveriam ir pescar.

“Somos um país demasiado pequeno para sustentar um sistema bancário de tão grande dimensão”, afirmou Haarde em Outubro de 2008. “Temos fantásticos recursos e uma abundância de energia verde e agora iremos utilizar tudo isso e os restantes recursos de que dispomos – o mar e o capital humano”, salientou Geir Haarde logo a seguir à nacionalização dos três maiores bancos da Islândia.

“Ficaremos bem. Podemos comer aquilo que pescarmos”, acrescentou o então primeiro-ministro. Mas o povo não lhe perdoou a crise e o governo caiu mesmo.

Recorde-se que a Islândia tem estado a travar um braço-de-ferro com o Reino Unido e a Holanda relativamente a mais de cinco mil milhões de dólares perdidos por cidadãos daqueles dois países que tinham depositado as suas poupanças no banco islandês Icesave, que faliu em 2008.

Com efeito, num referendo nacional em Abril, o povo islandês rejeitou um acordo de reembolso daquele dinheiro aos dois países, dizendo que se recusava a pagar pelos excessos dos seus banqueiros. Tanto o Reino Unido como a Holanda anunciaram que lutariam para reaver o seu dinheiro.

Presidente da Câmara das Caldas da Rainha no Prós e Contras

Absolutamente esclarecedora esta intervenção sobre opções da gestão da água, taxa de IMI, etç e que aconselho vivamente a rever (Prós e Contras de hoje). Um excelente exemplo na gestão municipal. Os meus sinceros parabéns!

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Belmiro de Azevedo: "José Sócrates vai para o livro do Guinness"


In Bpi Online: Belmiro de Azevedo criticou duramente o trabalho de José Sócrates, acusando-o de "não ser um primeiro-ministro" mas sim o "chefe de um grupo de empregados".

Questionado sobre o ministério com pior desempenho durante o mandato de José Sócrates, Belmiro de Azevedo foi peremptório: "Todos. Porque só havia um ministro: José Sócrates". "Até o Teixeira dos Santos ultrapassou e ignorou", acusou Belmiro de Azevedo.

Para o empresário "não há exemplo de alguém ter feito tanta coisa tão mal feita em tão pouco tempo. Ele [José Sócrates] vai para o Guinness", afirmou.

Redução no tráfego da internet e aumento da produtividade

Segundo o INE, o barómetro instantâneo que mede a produtividade nos serviços teve um súbito incremento esta manhã. A explicação avançada pelo Instituto Nacional de Estatística é que se acabaram os emails em circulação com as anedotas sobre Sócrates bem como os da divulgação das escandaleiras conhecidas. A Associação dos Fornecedores ISP informaram que a redução do tráfego na internet foi de quase 90%.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

"Sereia" Chaves


A nova campanha da Vodafone com a Soraia Chaves. Quem gostar de ir à pesca para S. Jacinto e mudar para a Vodafone, recebe a sereia de brinde. É desta que mando a TMN às favas!